Acesso à informação Portal de Estado do Brasil
Personal tools
You are here: Home Programação DCTV 2009 Combate à formiga cortadeira em plantios florestais

Combate à formiga cortadeira em plantios florestais

As formigas cortadeiras dos gêneros Atta e Acromyrmex, conhecidas como saúvas e quenquéns, são consideradas as mais prejudiciais pragas em florestas plantadas de pínus e eucalipto. Os ataques desses insetos-praga contribuem significativamente para a redução da produtividade dos plantios florestais, provocando grandes perdas econômicas.

Arquivos para download Vídeo WMV - Combate à formiga cortadeira em plantios florestais_1
Vídeo WMV - Combate à formiga cortadeira em plantios florestais_2

Foto: Embrapa Florestas

O ataque das formigas pode causar a mortalidade das plantas cultivadas

As formigas atacam quase todas as espécies de plantas cultivadas, cortando folhas e ramos, que são carregados para o interior de seus ninhos sob o solo, o que torna o controle mais difícil. Ao contrário do que se pensa, elas não se alimentam do tecido vegetal. Todo o material cortado serve para alimentar um fungo que, por sua vez, é uma importante fonte de alimento para as formigas.
O combate a formigas cortadeiras é fundamental, pois elas limitam o desenvolvimento dos plantios florestais, provocando a redução do crescimento das árvores e também causando baixa resistência ao ataque de outras pragas.
Os prejuízos ocorrem principalmente durante os primeiros seis meses de idade dos plantios, quando o desfolhamento causado pelas formigas pode provocar a morte das plantas. O maior problema acontece em plantios em áreas anteriormente ocupadas por pastagens, devido à alta quantidade de ninhos de quenquéns. Neste caso, em plantios de eucalipto, por exemplo, o ataque das formigas pode causar a mortalidade de até 70% das plantas nos primeiros 30 dias de idade.
O combate às formigas cortadeiras é realizado basicamente com a aplicação de iscas formicidas. Recomenda-se o controle pré-plantio, realizado antes do preparo do solo e uma inspeção 30 dias após o plantio, para uma possível segunda intervenção.
O programa conta com a participação dos pesquisadores da Embrapa Florestas Edson Tadeu Iede e da Epagri Wilson Reis Filho, que vão explicar como deve ser feito o combate às formigas cortadeiras em plantações de pínus e eucalipto e quais os cuidados que o produtor deve ter para evitar os problemas provocados por este inseto-praga tão pequeno, mas causadores de enormes prejuízos.

 

2010/01/15
Maria Paraguaçu Cardoso (Reg. Nº 347/CONRERP)
Email: mariah@cnpf.embrapa.br
Telefone: (41) 3675-5772
Embrapa Florestas

Colaborador URL
Embrapa Informação Tecnológica
http://www.sct.embrapa.br